Acessibilidade

Programas Sociais

Além do atendimento policial, o sistema de Segurança Pública, em parceria com outros órgãos do Governo do Estado, realiza o acolhimento do cidadão por meio de programas sociais. Todos têm um importante papel que é ajudar e prevenir a ocorrência de violência em todo o Amazonas. A SSP-AM entende que a prevenção é um dos pilares que ajudam no combate à criminalidade e quase 400 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos já receberam algum tipo de orientação.

Os principais mecanismos usados pelas coordenações desses programas para atingir o cidadão são palestras, seminários, exposições, semanas, feiras, visitas, cursos de extensão universitária, fóruns estaduais, conferências, mutirões sociais, orientação e encaminhamento para tratamento, distribuição de material pedagógico, palestras, Ação Global, workshops, convenções e outros.

Os trabalhos realizados nas escolas são voltados ainda para a prática de esportes, cursos profissionalizantes, aulas de reforço e palestras educativas com as crianças e os pais.

Os programas sociais ligados à SSP, mesmo sendo de instituições diferentes como as polícias Civil e Militar, têm a mesma prioridade: atuar na luta contras as drogas lícitas e ilícitas.

SSP-AM

Projeto João e Maria

O projeto “João e Maria” foi lançado no dia 8 de março de 2018,e tem o objetivo de conscientizar a população ao combate a crimes contra crianças, adolescentes, idosos e mulheres, por meio de palestras educacionais nas escolas de todas as zonas da capital. Em Manaus, o projeto teve sua primeira fase concluída no mês de maio, do ano atual. Mais de 100 mil pessoas foram alcançadas em 233 palestras em escolas estaduais, que seguirá também para municípios do interior do estado.

Programação- A programação traz conteúdos sobre o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), Lei Maria da Penha e o Estatuto do Idoso, tornando de conhecimento da comunidade leis que garantem direitos a crianças, adolescentes, idosos e mulheres.

Palestrantes – As palestras serão ministradas por 28 mulheres profissionais da área de segurança pública, das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e Guarda Municipal.

João e Maria no interior- No dia 6 de junho, o projeto expandiu e foi lançado no interior do Estado, o primeiro município a receber as ações do “João e Maria” foi Rio Preto da Eva, distante 57 quilômetros da capital. 20 escolas municipais e estaduais farão parte das atividades.

Parceria e Apoio – O projeto é coordenado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) por intermédio do Departamento de Prevenção à Violência da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop) com o apoio da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas); Secretaria de Estado de Educação e Qualidade (Seduc); Secretaria Executiva de Polícia para Mulheres da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (SEPM/Sejus); e realizada em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e com os conselhos estaduais dos Direitos do Idoso, da Mulher e da Criança e ao Adolescente.

Projeto Inclusão Digital

Criado em 2009, o projeto “Inclusão Digital: Qualidade de vida na melhor idade” tem o objetivo de mostrar a importância das atividades físicas e mentais para proporcionar vida saudável aos idosos e incluí-los na era digital, visando aperfeiçoar o conhecimento, relacionamento interpessoal, motivação, autoestima, entretenimento, entre outros benefícios.

Programação – O curso é realizado de janeiro a dezembro, e já atendeu aproximadamente três mil pessoas, entre idosos e servidores. A qualificação traz conteúdos com esclarecimento sobre a importância de alimentação saudável para uma melhor qualidade de vida, promoção à integração social, aulas de informática básica e avançada, palestras sobre o Estatuto do Idoso, aposentadoria e benefícios previdenciários, além de atividades motivacionais e passeios culturais pela cidade. O projeto já formou mais de dois mil idosos em cursos de informática.

Parcerias- O projeto é coordenado pelo Departamento de Prevenção à Violência da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e conta com o apoio da Secretaria Executiva Ajunta de Inteligência (SEAI), Corregedoria Geral, Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), Conselho do Idoso, Ouvidoria, Banco do Brasil, Empresa de Refrigerantes Magistral, Tecnologia, Assessoria Jurídica, Junta médica e Instituto Integrado de Ensino de Segurança Pública (IESP).

Em caso de dúvidas, é possível entrar em contato através do telefone (92) 99454-3187.

Previne: Programa de Redução da Violência e do uso de Narcóticos 

O projeto “Previne” é o programa de Redução da Violência e do uso de Narcóticos e Entorpecentes, foi criado em março de 2003 por meio da portaria no 019/2003 da SSP-AM, com o objetivo principal a formação e treinamento de multiplicadores que atuem na prevenção ao uso de drogas, para reduzir o risco da iniciação de crianças, jovens e adultos no uso de entorpecentes, através de implementação de ações preventivas, tanto na capital como no interior do estado, alicerçadas em fundamentos científicos e pedagógicos, resgatando os valores éticos e morais, culturais, religiosos e familiares.

Programação- Em 15 anos de existência, o projeto atendeu várias comunidades em todos os municípios do Amazonas, e qualificou aproximadamente 30 mil multiplicadores em todo o estado, utilizando diversas metodologias psicopedagógicas que auxiliam na promoção e desenvolvimento da autoestima, autoconhecimento, percepção e personalidade. Dinâmicas em grupo também fazem parte do treinamento, além de visitas a clínicas de recuperação ou comunidades terapêuticas como fase conclusiva do treinamento, que contém um módulo dividido numa carga horária de 50 horas com certificado de extensão universitária, reconhecido pela Universidade Nilton Lins. O programa fornece informações e qualificação profissional a professores, policiais, agentes de saúde, comunitários, profissionais da área social, presidentes comunitários, lideranças religiosas e formadores de opinião.

Parcerias- O projeto possui parcerias com diversos órgãos públicos e instituições privadas, entre elas, Universidade Nilton Lins, Conselho Estadual de Entorpecentes (CONEN), Fundação de Medicina Tropical- Coordenação IST/AIDS, Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (SENAD/DF).

Projeto “Prevenção e Segurança nas escolas”

Com iniciativa da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coordenada pelo Departamento de Prevenção à Violência da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) o projeto “Prevenção e Segurança nas escolas” foi criado em 27 de abril do ano de 2018, e tem o objetivo de capacitar estudantes, pais e a comunidade escolar para que se formem multiplicadores de ações de prevenção à violência e às drogas nas instituições de ensino. A Escola Estadual Senador Severiano Nunes, localizada no bairro Alvorada 2, zona centro-oeste da capital, foi a primeira a receber as atividades do projeto, na capital amazonense. Aproximadamente 2,4 mil pessoas, entre estudantes e pais participaram das atividades do programa, que incluem palestras e cursos.

Programação – O cronograma de atividades do projeto é divido por etapas e reúne ciclo de palestras; curso de mediação de conflitos; curso de treinamento em extensão universitária sobre drogas; elaboração de plano de prevenção à violência e às drogas. Além de avaliar as instalações físicas quanto à funcionalidade e segurança, diagnóstico escolar sobre problemas, soluções e grau de comprometimento da comunidade escolar.

Polícia Militar

PROERD

Desde 2002, o Programa Educacional de Resistências às Drogas e a Violência (Proerd) desenvolve atividades de prevenção nas escolas públicas e particulares do Amazonas. A meta é orientar os estudantes com idades entre 8 e 14 anos, quanto ao perigo do uso das drogas. Em 10 anos de atuação, o Programa coordenado pela Polícia Militar já atingiu mais de 300 mil alunos das redes estadual, municipal e particular de ensino.

As aulas já fazem parte da grade curricular de algumas escolas e são realizadas uma vez por semana por policiais militares, no período de quase três meses. A cartilha utilizada em sala de aula é a mesma usada em todo o Brasil país, e é adaptada de acordo com a idade e séries dos alunos. Ao final do treinamento, as crianças e adolescentes recebem certificado de combatentes e multiplicadores no combate ao uso de entorpecentes.

Os pais também são convidados a participar dessa luta contra as drogas, por meio de cursos oferecidos pelo Proerd, e que tem lições específicas para que os responsáveis aprendam a lidar e detectar com determinadas situações. O método é similar ao do Proerd voltado para os estudantes, incluindo 30% do conteúdo da cartilha didática utilizada pelos policiais em sala de aula.

As lições especiais envolvem temas como: protegendo o filho contra a violência, as drogas e a violência no mundo de hoje, como ajudar as crianças a lidar com pressões, entre outras. A diferença está no tempo de ensino. As instruções são passadas para a garotada uma vez por semana, durante três meses. Já para os pais, esse período é mais curto: são apenas cinco aulas, com carga horária de 12 horas.

TENENTE CORONEL PM MAJOR AUDINEY OLIVEIRA PINTO
coordenador do Proerd
Contatos
Email: instrutorproerdam@yahoo.com
Telefone: (92) 8842-1773/8842-1990

FORMANDO CIDADÃO

Criado em dezembro de 1997, inicialmente, atendia os moradores de rua de Manaus, mas ganhou uma nova roupagem e passou a trabalhar com jovens de todas as classes sociais. O programa é um exemplo do empenho da Polícia Militar em atividade de cunho social. Quase 10 mil meninos de 12 a 17 anos foram livres da ociosidade desde então. As vagas são concorridas e para integrar esse seleto grupo é necessário estar matriculado regularmente em uma unidade educacional, ter boas notas e bom comportamento.

As atividades são realizadas de segunda à sexta, sempre pela manhã (7 às 11h30), em 10 unidades da Polícia Militar em Manaus – nos Comandos de Policiamento das áreas Norte, Leste, Sul e Oeste, 15ª Cicom, 17ª Cicom, 26ª Cicom, 1ª Batalhão de Choque, ONG Violeta e Comando Geral. No interior do Estado o Formando Cidadão atua nos municípios de Rio Preto da Eva, Iranduba, Itacoatiara e Manacapuru.

As ações coordenadas por policiais militares são variadas entre práticas esportivas, recreativas, passeios culturais, assistência social e psicológica. As atividades incluem ainda noções de cidadania, disciplina militar, reforço escolar, prevenção às drogas, educação física e artes.

Para proporcionar também a participação dos meninos em cursos profissionalizantes, a coordenação do programa firmou parcerias com diversas empresas públicas, privadas e Organizações Não-Governamentais (ONG). O Senai, por exemplo, disponibiliza ao ‘Formando Cidadão’ cursos de desenho e pintura, mecânica de bicicletas, almoxarife, assistente administrativo, marcenaria de pequenos objetos de madeira, informática básica, eletricista de automóvel entre outros.

CORONEL PM WANDERLEY YOKOYAMA
Coordenador do Formando Cidadão
Contatos
Email:pfc.pmam@hotmail.com
Telefone: (92) 8842-1931 (funcional)

Polícia Civil

O Pró-Vida é um programa social coordenado pela Polícia Civil, que assim como os demais, busca levar a mensagem de prevenção às drogas. Entre 2005 e 2012, o Programa atingiu mais de 60 mil pessoas com palestras e trabalhos de orientação, em escolas, empresas, grupos familiares, religiosos e filantrópicos.

Durante as palestras são abordados assuntos como convivência familiar e na sociedade, sexualidade e gravidez na adolescência, qualidade de vida e o uso das drogas. A equipe do programa utiliza materiais informativos, como folders, cartazes, banners e vídeos.

O Pró-Vida já atingiu mais de 30 mil alunos e cerca de 4 mil professores. No âmbito familiar, mais de 400 pais participaram de atividades e tiveram acesso às informações sobre prevenção e combate às drogas. É uma forma que a equipe do Pró-Vida encontrou para envolver os responsáveis na educação mais direta dos filhos, e assim poder detectar com agilidade qualquer situação estranha relacionada ao uso de entorpecentes.

Antes da realização de qualquer atividade nas comunidades, é feito um diagnóstico e estudo de campo para conhecer a realidade daquela área, e assim elaborar um material didático direcionado. O foco é trabalhar diretamente no que o cidadão está precisando, estabelecendo uma ordem de prioridade.

RENATO ELIAS
coordenador do Pró-Vida
Contatos:
Telefone: (92) 3214-2226

Corpo de Bombeiros Militar

Bombeiro Mirim

O  Programa Educacional Bombeiro Mirim (Proebom) coordenado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, iniciou no dia 18 de outubro de 2017, na Comunidade Vila da Felicidade bairro Mauazinho, zona Sul da capital, a primeira turma  totalizava 27 alunos.

Em Manaus cerca de 300 crianças já foram contempladas com os treinamentos  viabilizado pelo Corpo de Bombeiros, bem como  nos municípios de Itacoatiara, Manacapuru, Parintins, Tabatinga, Tefé, Iranduba, Rio Preto da Eva, onde a estimativa de crianças que foram alcançadas pelo programa social chega a 500 alunos entre o ano de 2017 e 2018.

O  publico alvo do programa são crianças e adolescentes entre sete e 16 anos de idade, com foco na valorização dos ideais de cidadania e civismo, tomando como base projetos governamentais como ‘Mais Educação’ e ‘Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)’. Além da oferta de ensino e qualidade de vida o Proebom.

O Proebom auxilia os alunos  no conhecimento de temas como; desenvolvimento de trabalhos em equipe, primeiros socorros, doenças infectocontagiosas, saúde bucal, acidentes domésticos, educação no trânsito, além de reforço de português e matemática.

Atualmente existem 03 turmas, divididas em 3 dias da semana,  terças, quartas e sextas e funcionam das 08:30 às 10:30 da manhã, uns dos pré-requisitos para as crianças se manterem no programa , é elas estarem matriculadas regularmente nas escolas,  mantendo a assiduidade nas aulas e que os boletins sejam apresentados  no programa  para a comprovação.

Podem participar do programa  crianças entre 7 e 16 anos  e elas  devem estar matriculadas  em ensino regular, em Manaus. Os pais ou responsáveis podem procurar o Centro de  Referência  em Assistência Social (CRAS), ou a cozinha comunitária mais próxima de sua residência. Quanto às unidades dos municípios do interior do Amazonas, podem procurar as Companhias de Pelotões do Corpo de Bombeiros.